m
Popular Posts
Siga-nos
HomeCidadesRenata Sene e governador assinam convênio de retomada da estação de trens

Renata Sene e governador assinam convênio de retomada da estação de trens

Uma assinatura do governador Geraldo Alckmin, ao lado prefeita Renata Sene, começa a colocar fim ao sofrimento diário de milhares de moratenses que usam os trens da CPTM. O governador assinou na tarde do dia 16, em solenidade no Palácio dos Bandeirantes, o contrato para a retomada das obras da nova estação de trens de Francisco Morato.

A mesa de trabalhos para a assinatura do contrato que autoriza a construção da nova estação de Francisco Morato contou com a presença de Samuel Moreira, secretário da Casa Civil, Clodoaldo Pelissioni, secretário de Transportes Metropolitanos, Paulo Magalhães, presidente da CPTM, Widerson Anzelotti, secretário executivo do FUMEFI, Vanderlei Macris, deputado federal, Celino Cardoso e Jorge Wilson (Xerife do Consumidor), deputados estaduais, e de Renata Sene, prefeita de Francisco Morato.

O contrato assinado no dia 16 indica o fim de uma novela que já dura sete anos, durante os quais a população moratense utiliza uma estrutura precária e inadequada, que era para ser provisória, e que, por conta de diversos problemas, acabou se tornando permanente.

A empresa vencedora da nova licitação para construção da nova estação de Francisco Morato foi a Spavias-Telar pelo valor de R$ 114,9 milhões. As obras começarão já no mês que vem (dezembro), e o prazo para conclusão é de 36 meses, contados a partir da ordem de serviço.

 “Desde o primeiro dia do nosso mandato, ao lado da Câmara Municipal de Vereadores estamos lutando junto ao governo do estado pela retomada desta obra, que é fundamental para nossa cidade. E hoje,  onze meses depois, estamos aqui comemorando esta assinatura. Fundalmente, quero agradecer ao governador em nome de todos os moratenses o governador Geraldo, ao secretário chefe da Casa Civil, Samuel Moreira, aos deputados Jorge Wilson e Alencar Santana, ao nosso amigo Widerson Anzelotti, à secretária Ana Carolina e toda a nossa equipe de obras e a todos os que nos apoiaram nessa luta. Agora é acompanhar e fiscalizar para garantir que a obra siga com rapidez”, declarou, emocionada, a prefeita Renata Sene.

A nova estação terá 6.000 metros quadrados de área construída, três plataformas de embarque e desembarque, cinco escadas rolantes, três elevadores e todos os itens de acessibilidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Serão implantados também dois acessos, sendo que um ligará a nova estação ao terminal rodoviário e o outro chegará até a Rua Gerônimo Cayetano Garcia, a principal rua do centro.

Além da prefeita estavam presentes à solenidade o vice-prefeito de Morato, Dr. Araguacy Ávila, os vereadores Nelsinho da Periferia, Mimo, Alex dos Reis, João Raposo, Jair Sene, Flor Cabeleireiro, Joãozinho, Ildo Gusmão, Salsicha, Giba e a presidente da Câmara, vereadora Márcia, todos os secretários municipais e um grande público formado por moradores de Morato que foram até o Palácio dos Bandeirantes acompanhar a assinatura que autoriza a retomada das obras da nova estação de Morato.

Cerca de 45 mil moratenses usam a Linha 7-Rubi todos os dias. Essa é a maior linha da CPTM, com 60,5 quilômetros de extensão e liga a Estação da Luz a Jundiaí. O trecho maior, com 39 quilômetros, da Luz até Francisco Morato, atende cerca de 395 mil passageiros nos dias úteis. E a extensão dessa linha, de Francisco Morato a Jundiaí, que tem 21,5 km, atende 30 mil usuários por dia útil. De acordo com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, CPTM, a obra foi parada em 2014 pela Justiça a pedido da empresa vencedora da licitação e agora finalmente será retomada.

Por diversas vezes a prefeita Renata Sene e a Câmara dos Vereadores estiveram com o governador cobrando as providências em prol da população. Neste ano inclusive, foi montada uma Frente Parlamentar, na Assembléia Legislativa com ajuda dos deputados e dos prefeitos das cidades vizinhas Kiko Celeguim de Franco da Rocha, e Gerson Romero de Caieiras para que o pedido tomasse força por meio do Consórcio de Municípios da Bacia do Juquery – Cimbaju e o esforço foi recompensado.